sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Música

Diário Do Fronteiriço Leôncio Severo
Permisso... paysano!
Que eu venho judiado.
O sol na moleira,
a vida campeira
batendo os "costado".
Permisso... paysano!
Pra um mate cevado.
Que eu ando na estrada
co'a vida encilhada,
tocando o cavalo.

Sou da fronteira...
me pilcho a capricho.
Potrada é de lei,
da lida que eu sei,
aperto o serviço...
Meio gente, meio bicho...
Ninguém me maneia
..."loco das idéia",
sou duro de queixo.

Um trago de canha,
os amigos de fé,
o pinho afinado...
tocando milongas
e algum chamamé.
Com a alma gaúcha
e um sonho dos "bueno"
eu guardo a querência...
...a vida anda braba,
e só mete a cara
quem tem a vivência.

Ah! Livramento me espera...
num finzito de tarde,
um olhar de saudade
a mirar da janela...
Lá...onde o xucro se amansa!
Na ânsia do abraço
eu apresso o passo
pra matear com ela.

Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=rHxJpv7gfTE

Escolhemos esta música porque fala de nossa terra,de nossa tradição,das coisas que gostamos e com as quais nos identificamos. Fala de nossas raízes e de nossa identidade cultural. Quando passamos alguns dias longe de nossa cidade e voltando avistamos o cerro de Palomas ao som desta música é por demais emocionante,a sensação de estar em casa.

2 comentários:

Professora Jozeane disse...

Sabemos que nossa cidade não oferece muitas opções de emprego, mas quando estamos longe dela, percebemos o grande valor que ela tem. A saudade bate...

Grupo das Meninas Atarefadas disse...

Linda a música, o vídeo... Parabéns!